Terrários Recife

Terrários Recife / Fotos: Divulgação

 

E foi assim que tudo começou, Victor Polesky, arquiteto de formação e que atualmente trabalha na área de arquitetura naval e Tiago Cavalcanti, administrador e estudante de Direito, iniciaram sua jornada como jardineiros de terrários na Terrários Recife. A empresa nasceu quase que por acidente, quando Victor estava fazendo a reforma de um apartamento e notou alguns vidros que estavam sem uso, decidindo arriscar e iniciar a produção desses minijardins. “Eu já tinha visto algumas dessas peças quando trabalhei nos Estados Unidos, e resolvi reproduzilas aqui no Brasil”, conta o arquiteto.

Victor além de morar nos Estados Unidos, visitou mais de 20 países durante o seu trabalho como arquiteto naval, e de lá vieram muitas de suas inspirações. “Esses minijardins ornamentais me ajudam a decorar os projetos com charme e delicadeza ímpar”, comenta Victor. E o que era apenas um passatempo, logo virou um negócio de sucesso. São, também, chamados de minimundos, que nos convidam a apreciar e refletir sobre pequenas coisas. A marca Terrários Recife, tem um pouco mais de 2 meses de criação e já faz um sucesso nas redes sociais, com pedidos semanais acima das 35 unidades.

Com os preços a partir de R$ 40, eles conseguem fazer mágica dentro dos potes. E como isso já não bastasse, eles convidaram uma nova colaboradora, Luzete Simões, formada em Biologia, e que já trabalhava com terrários e que sentiu paixão à primeira vista com a Terrários Recife, e logo resolveu se juntar a equipe e compor a empresa. O grande destaque fica com as miniaturas em 3D, que podem ser adicionadas a cena, e segundo a Terrários Recife, eles podem reproduzir qualquer pessoa, animal ou objeto.

Com a entrada de Luzete, nós adicionamos a técnica de águas artificiais ou lagos artificiais nos terrários, que dá um charme e requinte ainda maiores nas peças”, ressaltam os meninos. Entendendo melhor as aulas de ciências – O ciclo da água e do carbono Ao construir um terrário você simula um microambiente em equilíbrio que funciona de forma autossustentável. Nele, é possível observar a interação entre plantas, e também os ciclos da água e do carbono (decomposição). O terrário de ambiente úmido fechado é o melhor exemplar para se observar o ciclo da água.

A água presente no solo e advinda da transpiração de plantas é transformada em vapor, quando submetida ao calor ou radiação solar. Essa água, não sairá do recipiente, mas se condensará sobre as superfícies e, assim, regará as plantas e o solo, assegurando a sobrevivência das espécies do terrário. Ou seja, pode ficar tranquilo pois as plantas não irão morrer de sede tampouco de falta de ar, no caso dos terrários fechados, pois ali mesmo acontecerá o milagre da natureza e elas irão se regar e produzir seu oxigênio tranquilamente. Então só cabe a você complementar a rega a cada três meses, admirar essa maravilha de cenário e curtir a natureza.

Gostou Deste Artigo? Compartilhe!

Facebook 0
Google+ 0
Fechar Menu