Camarão ao Molho Clericot de Champagne Rosé / Por: Natalya Lima / Foto: @cleosantana

Tradicionalmente, o champagne carrega em sua história uma característica marcante: é a bebida indispensável na comemoração de momentos grandiosos. Originalmente produzido na frança, esse vinho espumante se tornou um ícone de glamour, conquistas e sucesso em todos os segmentos da sociedade. Mas quem disse que apenas as vitórias podem demandar um bom champagne? Os vinhos espumantes, quando bem harmonizados, conseguem acompanhar com eficácia inúmeras receitas cotidianas, oferecendo um leve toque de sofisticação aos seus momentos mais comuns. Pratos como caviar, castanhas e pescados são, geralmente, os acompanhamentos mais comuns quando servimos um champagne.

Porém, a estrutura delicada, excêntrica e gustativa dessa bebida consegue nos levar muito além do óbvio, explorando com curiosidade os mais diversos tipos gastronômicos de combinação. Se para cada novo evento precisamos de uma roupa, para cada novo prato precisamos de um champagne. Do mais leve ao mais forte, toda harmonização é válida. Para as carnes populares, bovinas ou de aves, um champagne mais potente, com predomínio de uvas tintas, é como um tiro bem certeiro no meio do alvo. O champagne rosé, por exemplo, vem da rápida maceração das uvas tintas, o que faz com que sejam vinhos mais encorpados, que servem bem às carnes da mesa. Já os champagnes mais secos, geralmente, pedem pratos mais estruturados.

As frutas, sejam elas secas, frescas ou combinadas em pratos salgados, são muitas vezes acompanhadas por um champagne mais leve, mais fresco. A salinidade e refrescância da bebida acabam se tornando um elemento perfeito na combinação entre os sabores mais exóticos. Já os champagnes mais doces, tendem a reforçar um açúcar discreto que é trazido pelas frutas amarelas, se tornando um ótimo acompanhamento, muito mais harmonioso. Uma bebida tão plural quanto o champagne merece mais do que apenas… borbulhar na multidão. É um evento cada gole, uma tendência a cada combinação e um novo brinde a cada celebração.

Camarão ao Molho Clericot de Champagne Rosé:

1,5 kg de camarões grandes descascados.
Sal e pimenta-do-reino e noz moscada a gosto.
1 cebola grande picadinha ou raladas.
125 g de manteiga.
2 maças verdes picadas e fatiadas.
1 1/2 copo de champagne.
500 g de creme de leite fresco.
Raspas de casca da tangerina.
Bagos da tangerina limpo.

Modo de preparo:

Limpe os camarões e tempere-os com sal e pimenta-do-reino a gosto. Reserve-os. Coloque parte da manteiga em uma panela grande para derreter (não deixe dourar, só aquecer), refogue a cebola picadinha até amolecer (não dourar), acrescente a maçã, deixe refogar alguns minutos, acrescente o champagne ou vinho branco, deixe evaporar o álcool e aos poucos o creme de leite. Deixe reduzir até engrossar o molho, mexendo para não grudar no fundo da panela, tempere com sal, pimenta e noz moscada reserve. Reserve.

Coloque o restante da manteiga em uma frigideira para aquecer e doure rapidamente em pequenas porções os camarões (vire de um lado e do outro para dar uma seladinha apenas), tire e coloque em um recipiente. Coloque os camarões na panela em que está o molho, para ferver por alguns minutinhos apenas (não deixe mais que 3 minutos para os camarões não enrijecerem).Adicione as raspas de tangerina no último minuto antes de servir. Decore com as fatias de maçã e os bagos de tangerina. Sirva com arroz de amêndoas e espumante bem gelado.