Cardiologistas lançam aplicativo gratuito para monitorar a pressão arterial

Foto: Divulgação

 

O Ministério da Saúde indica, no seu último levantamento publicado em 2017, que 141.878 mortes foram registradas devido à condição ou a causas relacionadas à hipertensão no Brasil. Ou seja, 388,7 ao dia. Ainda segundo a pasta, 37% desses óbitos precoces, englobam pessoas com idade inferior aos 70 anos. Diante desse cenário, um grupo formado por médicos cardiologistas de várias partes do país, lançaram um aplicativo gratuito que monitora a pressão arterial de pacientes hipertensos. O AMPA (Automedida da Pressão Arterial), da empresa Beliva, já está disponível para IOS e Android.

“Desta forma, o AMPA surge como uma maneira eficaz de auxiliar médicos no controle da hipertensão arterial remotamente. O aplicativo ainda permite uma comunicação entre profissional e paciente. Mas vale destacar: qualquer pessoa pode buscar e baixar a ferramenta. O APP permite aos usuários adicionar os dados das medições feitas com aparelho próprio em casa e receber relatórios dessas medidas. Com isso pronto, é possível submetê-los a avaliação do seu médico de confiança.”, explica um dos idealizadores, Dr. Audes Feitosa. No Brasil, mais de 1.000 clínicas de cardiologistas são atendidas pela empresa Beliva.

Com a possibilidade de supervisão remota por parte do médico, os ganhos para profissional e paciente são diversos. Por exemplo, a medição e registro dos dados diários podem servir para monitorar reação a determinados medicamentos. Além disso, as conversas ficam num ambiente específico para aquilo, deixando tudo mais organizado e dinâmico. Sem contar que a consolidação desse hábito de acompanhamento interfere positivamente na adesão ao tratamento e no controle da pressão arterial. Os cardiologistas responsáveis pelo AMPA, estão espalhados por seis estados brasileiros – Pernambuco, Alagoas, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Goiás.

São eles a Dra. Andréa Bandrão, Coordenadora de pós-graduação da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual do Rio de Janeiro; Dr. Audes Feitosa, Presidente do Departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia; Dr. Eduardo Barbosa, Presidente da Artery Latam Society; Dr. Marcos Mota, Investigador Principal de Centro de Pesquisas Clínicas do Centro Universitário Cesmac/Hospital do Coração de Alagoas; Dr. Roberto Miranda, Chefe do Serviço de Cardiologia da Disciplina de Geriatria da Universidade Federal de São Paulo; e Dr. Weimar Sebba, professor adjunto de Cardiologia da European Society of Cardiol ogy and Hypertesion Unit Barcelona University.

Gostou Deste Artigo? Compartilhe!

Facebook 0
Google+ 0
Fechar Menu