BLTA sugere atitudes para todos se manterem saudáveis diante da pandemia e defende políticas mais flexíveis para cancelamento de viagens futuras

Simone Scorsato e Martin Frankenberg / Foto: Divulgação

 

Diante do fato sem precedentes da ameaça da #COVID 19 (coronavírus), a indústria do turismo passa por uma situação muito difícil e é o primeiro setor a sentir, efetivamente, o impacto desta pandemia mundial. De acordo com a diretora-executiva da BLTA (Brazilian Luxury Travel Association), Simone Scorsato, este momento requer extrema atenção. “Estamos preocupados com todos que, direta ou indiretamente, têm a atividade do turismo como fonte de trabalho e renda. Somos igualmente solidários e empáticos com esta situação que interfere globalmente na vida de todos”, diz.

Segundo Simone, para superar este período os associados da BLTA estão se adaptando às normas vigentes, sejam da Organização Mundial de Saúde, sejam da Organização Mundial do Turismo. Diante desse quadro, a associação indica três atitudes que podem contribuir para todos se ajudarem mutuamente na fase de recuperação:

1. Adie e seja consciente. O turismo gera milhões de empregos diretos e indiretos. Adiando sua viagem você ajuda não só a economia global, mas, também, a economia local – comunidades inteiras vivem da prestação de serviços do turismo.

2. União e empatia. A BLTA está se articulando com outras associações do turismo para um entendimento conjunto da situação, tanto do ponto de vista do consumidor como do produtor de viagens. O turismo é uma via dupla e necessita de apoio e suporte de todas as esferas governamentais para superar este difícil momento.

3. A BLTA está junto com todos os seus colaboradores. Home office para aqueles que podem trabalhar de casa e flexibilização, como banco de horas e férias para aqueles que são a linha de frente do turismo. A meta é manter todas as equipes.

“Assim como tudo está acontecendo rápido demais, esperamos que, em breve, possamos retomar a alegria de viajar mundo afora”, complementa Simone.

Propostas para o trade:

Para o trade, o presidente da BLTA, Martin Frankenberg, defende a adoção de medidas que poderão contribuir para minimizar os impactos no público e nos prestadores de serviços. Entre elas, políticas de cancelamento mais flexíveis para novas reservas. “Diante do cenário crítico global, faz-se necessário adotar maior flexibilidade em viagens futuras no que tange à política de cancelamento. Confiança é a ordem da vez! É isso que queremos agora: mostrar aos nossos clientes que, caso estejam prontos para confirmar uma estada/viagem para o futuro, seremos muito mais flexíveis se for necessário cancelar”, diz.

Complementarmente, e para priorizar a informação correta sobre a situação no Brasil, a BLTA estará em comunicação constante com o mercado global de turismo de luxo, utilizando seus contatos ao redor do mundo. Confira mais no link da Organização Mundial do Turismo:

https://unwto.org/health- advice-for-tourists?fbclid= IwAR23nqvl13VzjM3ZeUuhdZkAXT0m _ WD4z8bmWnRT9AL4oiuTPghcB6OEdfg.

Gostou Deste Artigo? Compartilhe!

Facebook 0
Google+ 0
Fechar Menu